HOMEOPATIA:
Ciência, Filosofia e Arte de Curar


Publicações do Autor 

Correlation between vitalism and genetics according to the paradigm of complexity - Homeopathy 

Correlation between vitalism and genetics according to the paradigm of complexity - Homeopathy - 2019

Teixeira MZ. Correlation between vitalism and genetics according to the paradigm of complexity. Homeopathy 2019; 108 (eFirst). 

Disponível em: https://www.thieme-connect.com/products/ejournals/html/10.1055/s-0039-1692162

                      https://www.thieme-connect.com/products/ejournals/pdf/10.1055/s-0039-1692162.pdf

 

Abstract

Introduction: In homeopathic philosophy, vital force is a non-material substrate that is responsible for maintaining the body's sensations and functions and where homeopathic medicines act. In genetics, the body's vital functions are controlled by biochemical information, which is contained in the cell genome and consists of a protein encoding portion (exome) and another that regulates this encoding scheme (epigenome). Both the philosophical vital force and the genome present properties of complex and dynamic self-organisation systems. Aims: This study aimed to explore and develop a philosophical-scientific correlation between vitalism and genetics according to the complexity paradigm. Results: Vital principle and genome present inseparable composition among distinct existing components that influence one another and form a network of connections that create complex and dynamic self-organisation behaviour. Described in both models, ‘vortex’ indicates the existence of a force coming from within the system that is externalised as an emergent, information-transmitting phenomenon. Supporting this correlation, some experimental studies show that homeopathic medicines act on the genome by modulating gene expression. Conclusions: In line with the similarity of existing characteristics and properties, the genome may be considered as hypothetical biological substrate of organic vital force.

 

Resumo

Introdução: Na filosofia homeopática, a força vital é um substrato não material, que é responsável por manter as funções e as sensações do corpo e na qual agem os medicamentos homeopáticos. Em genética, as funções vitais do corpo são controladas por informações bioquímicas, que estão contidas no genoma celular e consiste de uma porção codificadora de proteínas (exoma) e outra que regula este esquema de codificação (epigenoma). Tanto a filosófica força vital filosófica e o genoma apresentam propriedades dos sistemas complexos e dinâmicos de auto-organização. Objetivo: Este estudo teve como objetivo explorar e desenvolver uma correlação filosófica-científica entre vitalismo e genética em conformidade com o paradigma da complexidade. Resultados: Princípio vital e genoma apresentam uma composição inseparável entre os seus distintos componentes, os quais influenciam uns aos outros e formam uma rede de conexões que cria um comportamento complexo e dinâmico de auto-organização. Descrito em ambos os modelos, o 'vórtice' indica a existência de uma força que vem de dentro do sistema e é externalizado como um fenômeno emergente transmissor de informação. Apoiando esta correlação, estudos experimentais demostram que os medicamentos homeopáticos atuam no genoma, modulando a expressão gênica. Conclusões: Em consonância com a semelhança de propriedades e características existentes, o genoma pode ser considerado como o hipotético substrato biológico da força vital orgânica.

 


Leitura Associada:

Teixeira MZ. Isopathic use of auto-sarcode of DNA as anti-miasmatic homeopathic medicine and modulator of gene expression? Homeopathy 2019; 108(2): 139-147.  Disponível em

 

Project: Isopathic use of auto-sarcode of DNA as anti-miasmatic homeopathic medicine and modulator of gene expression. Disponível em



HOMEOPATIA:
Ciência, Filosofia e Arte de Curar

Prof. Dr. Marcus Zulian Teixeira
Rua Teodoro Sampaio, 352 - Cj.128
CEP 05406-000 - São Paulo - SP
(11) 3083-5243 | 3082-6980
[email protected]
Todos os direitos reservados a Marcus Zulian Teixeira - Escritório de Direitos Autorais - Fundação Biblioteca Nacional