HOMEOPATIA:
Ciência, Filosofia e Arte de Curar


Saúde e Espiritualidade

Projeto de Pós-Doutorado

Saúde, Espiritualidade e Religiosidade segundo o Espiritismo: antologia temática ou estado da arte da literatura (FMUSP, 2022-2025, em andamento)

Health, Spirituality and Religiosity according to the Spiritism: thematic anthology or state of the art of literature (FMUSP, 2022-2025, in progress)

Teixeira MZ. Saúde, Espiritualidade e Religiosidade segundo o Espiritismo: antologia temática ou estado da arte da literatura [Projeto de pós-doutorado]. São Paulo: Faculdade de Medicina, Universidade de São Paulo; 2022. 47 p.

 

Resumo

Nas últimas décadas, tem-se observado um número crescente de estudos evidenciando uma associação positiva do envolvimento espiritual e religioso com melhores indicadores de saúde física e mental. Nesse contexto, espiritualidade e religiosidade se relacionam a menores taxas de suicídio, depressão, ansiedade e uso de substâncias ilícitas; melhor recuperação nos casos de depressão e maior bem-estar geral, dentre outros benefícios que as caracterizam como fonte de força e resiliência para os pacientes. Assim sendo, espiritualidade e religiosidade passam a ser valorizadas como importantes contributos na atenção clínica e na promoção à saúde, sendo de fundamental importância sua incorporação às atividades de ensino, pesquisa e assistência dos currículos acadêmicos das diversas áreas da saúde. Analogamente, pela importância crescente dedicada à correlação entre saúde, espiritualidade e religiosidade, profissionais da saúde devem estar preparados para compreender as demandas espirituais e religiosas de seus pacientes, adquirindo informação e treinamento nos diversos aspectos e abordagens desse vasto campo de conhecimento. Atendendo a esse objetivo, propomos neste projeto de pós-doutorado sistematizar e disponibilizar as contribuições do Espiritismo no entendimento dessa correlação, em vista de ser um sistema ideológico de cunho científico, filosófico e religioso, disseminado mundialmente e seguido por 2% da população brasileira  segundo o último censo demográfico (IBGE, 2010).

 

Abstract

In recent decades, there has been an increasing number of studies showing a positive association between spiritual and religious involvement and better indicators of physical and mental health. In this context, spirituality and religiosity are related to lower rates of suicide, depression, anxiety and use of illicit substances; better recovery in cases of depression and greater general well-being, among other benefits that characterize them as a source of strength and resilience for patients. Therefore, spirituality and religiosity are now valued as important contributors to clinical care and health promotion, and their incorporation into teaching, research and assistance activities in the academic curricula of the various areas of health is of fundamental importance. Analogously, due to the growing importance dedicated to the correlation between health, spirituality and religiosity, health professionals must be prepared to understand the spiritual and religious demands of their patients, acquiring information and training in the different aspects and approaches of this vast field of knowledge. In order to meet this objective, we propose in this postdoctoral project to systematize and make available the contributions of the Spiritism in understanding this correlation, in view of being an ideological system of a scientific, philosophical and religious nature, disseminated worldwide and followed by 2% of the Brazilian population according to the last demographic census (IBGE, 2010).

 


Interconexão entre saúde, espiritualidade e religiosidade: importância do ensino, da pesquisa e da assistência na educação médica

Interconexão entre saúde, espiritualidade e religiosidade: importância do ensino, da pesquisa e da assistência na educação médica - Revista de Medicina (São Paulo) - FMUSP

Interconnection between health, spirituality and religiosity: importance of teaching, research and assistance in medical education - Revista de Medicina (São Paulo) - FMUSP

Teixeira, Marcus Zulian. Interconexão entre saúde, espiritualidade e religiosidade: importância do ensino, da pesquisa e da assistência na educação médica. Revista de Medicina (São Paulo) 2020; 99(2): 134-147. Disponível em

Teixeira, Marcus Zulian. Interconnection between health, spirituality and religiosity: importance of teaching, research and assistance in medical education. Revista de Medicina (São Paulo) 2020; 99(2): 134-147. Available at

 

Resumo

Introdução: Desde os primórdios da humanidade, todas as populações valorizam a correlação entre a saúde e o binômio espiritualidade-religiosidade (E/R), embora tenham sido separados na prática médica moderna. Nas últimas décadas, têm-se observado um incremento de estudos e pesquisas que endossam a necessidade de se reconsiderar essa abordagem integrativa, com evidente incremento na atenção à saúde. Objetivo: O artigo ressalta a importância e a necessidade do ensino, da pesquisa e da assistência da interconexão entre saúde, espiritualidade e religiosidade na educação médica. Método: Revisão narrativa da literatura realizada em 2018 a partir das publicações existentes nas bases de dados MEDLINE (via PubMed) e LILACS (via BVS). Resultados: Descrevendo o panorama dos estudos que demonstram os efeitos positivos das práticas espirituais e religiosas na saúde física e mental dos indivíduos, o artigo evidencia que sua incorporação às demais terapias poderia incrementar o enfrentamento e a evolução clínica em inúmeras doenças. Conclusão: No entanto, pesquisas com desenhos apropriados devem ser realizadas para diferenciar o efeito terapêutico específico das intervenções espirituais e religiosas do efeito terapêutico não específico ou efeito placebo que o simbolismo espiritual e religioso desperta no psiquismo dos pacientes.

 

Abstract

Introduction: Since the beginnings of mankind, all populations have valued the correlation between health and the binomial spirituality-religiosity (S/R), although they have been separated in modern medical practice. In recent decades, there has been an increase in studies and researches that endorse the need to reconsider this integrative approach, with evident increase in health care. Objective: The article emphasizes the importance and necessity of teaching, research and assistance in medical education. Method: Narrative review of the literature conducted in 2018 from the publications in MEDLINE (via PubMed) and LILACS (via VHL) databases. Results: Describing the panorama of the studies that demonstrate the positive effects of the spiritual and religious practices on the physical and mental health of the individuals, this review evidences that its incorporation to the other therapies can increase the coping and the clinical evolution in numerous diseases. Conclusion: However, appropriately designed research should be conducted to differentiate the specific therapeutic effect of spiritual and religious interventions from the non-specific therapeutic effect or placebo effect that spiritual and religious symbolism arouses in the patients’ psyche.

 


Correlação entre o vitalismo e a genética segundo o paradigma da complexidade

Correlação entre o vitalismo e a genética segundo o paradigma da complexidade - Homeopathy - 2020

Correlation between vitalism and genetics according to the paradigm of complexity

Teixeira MZ. Correlation between vitalism and genetics according to the paradigm of complexity. Homeopathy 2020; 109(1): 30-36. Available at

 

Abstract

Introduction: In homeopathic philosophy, vital force is a non-material substrate that is responsible for maintaining the body's sensations and functions and where homeopathic medicines act. In genetics, the body's vital functions are controlled by biochemical information, which is contained in the cell genome and consists of a protein encoding portion (exome) and another that regulates this encoding scheme (epigenome). Both the philosophical vital force and the genome present properties of complex and dynamic self-organisation systems. Aims: This study aimed to explore and develop a philosophical-scientific correlation between vitalism and genetics according to the complexity paradigm. Results: Vital principle and genome present inseparable composition among distinct existing components that influence one another and form a network of connections that create complex and dynamic self-organisation behaviour. Described in both models, ‘vortex’ indicates the existence of a force coming from within the system that is externalised as an emergent, information-transmitting phenomenon. Supporting this correlation, some experimental studies show that homeopathic medicines act on the genome by modulating gene expression. Conclusions: In line with the similarity of existing characteristics and properties, the genome may be considered as hypothetical biological substrate of organic vital force.

 

Resumo

Introdução: Na filosofia homeopática, a força (princípio) vital é um substrato não material, que é responsável pela manutenção das sensações e funções do corpo, e na qual atuam os medicamentos homeopáticos. Em genética, as funções vitais do corpo são controladas por informações bioquímicas contidas no genoma celular, composto por uma porção codificadora de proteínas (exoma) e por outra que regula esse esquema de codificação (epigenoma). Tanto o princípio vital quanto o genoma (exoma plus epigenoma) apresentam propriedades dos sistemas complexos e dinâmicos de auto-organização. Objetivos: Este estudo teve como objetivo explorar e desenvolver uma correlação filosófica-científica entre vitalismo e genética em conformidade com o paradigma da complexidade. Resultados: Princípio vital e genoma apresentam uma composição inseparável entre os seus distintos componentes, os quais influenciam uns aos outros e formam uma rede de conexões que cria um comportamento complexo e dinâmico de auto-organização. Descrito em ambos os modelos, o 'vórtice' indica a existência de uma força que vem de dentro do sistema e é externalizado como um fenômeno emergente transmissor de informação. Apoiando esta correlação, estudos experimentais demostram que os medicamentos homeopáticos atuam no genoma, modulando a expressão gênica. Conclusões: Em consonância com a semelhança de propriedades e características existentes, o genoma pode ser considerado como o hipotético substrato biológico da força vital orgânica.

 


Antropologia Médica Vitalista: uma ampliação ao entendimento do processo de adoecimento humano

Antropologia Médica Vitalista: uma ampliação ao entendimento do processo de adoecimento humano - Revista de Medicina (FMUSP)

Vitalist Medical Anthropology: a broadening to the understanding of the human illness process

Teixeira MZ. Antropologia Médica Vitalista: uma ampliação ao entendimento do processo de adoecimento humano. Revista de Medicina (São Paulo) 2017; 96(3): 145-158. Disponível em

 

Resumo

Antropologia é a ciência que tem como objetivo estudar o homem em sua pluralidade de modos de vida e de pensamento, incorporando os diversos aspectos da individualidade às suas modalidades de estudo (biológica, social, cultural e filosófica). Por sua vez, a Antropologia Médica estuda os fatores que influenciam o processo saúde-doença, incluindo os aspectos biossocioculturais e os variados sistemas de saúde. Seguindo o objetivo intrínseco de estudar o homem em sua pluralidade, a Antropologia Médica Vitalista fornece subsídios filosóficos para uma ampliação do entendimento do processo de adoecimento, analisando o mecanismo saúde-doença em conformidade com a estrutura ontológica humana. Fundamentando o diagnóstico e o tratamento das doenças em diversas racionalidades médicas não convencionais (Medicina Tradicional Chinesa, Medicina Tradicional Indiana, Medicina Homeopática e Medicina Antroposófica), a concepção vitalista é uma doutrina filosófica que considera a existência de uma força (princípio) vital responsável pela manutenção da saúde e da vida, unida substancialmente ao corpo físico. Além disso, valorizando a interação de outras instâncias superiores da individualidade humana (mente, alma e espírito) no equilíbrio fisiológico-vital, a concepção vitalista inclui a influência dos pensamentos, sentimentos e emoções na etiopatogenia e na evolução das doenças, aspectos difundidos pela dinâmica psicossomática moderna e pelo recente campo de pesquisas que relaciona a saúde à espiritualidade.

 

Abstract

Anthropology is the science that aims to study the man in his plurality of ways of life and thought, incorporating the various aspects of individuality to their modalities of study (biological, social, cultural, and philosophical). In turn, the medical anthropology studies the factors that influence the health-disease process, including bio-socio-cultural aspects and different healthcare systems. Following the intrinsic purpose of studying man in his plurality, the Vitalist Medical Anthropology provides philosophical subsidies for expanding the understanding of the disease process, analyzing the health-disease mechanism in accordance with the human ontological structure. Basing the diagnosis and treatment of diseases in various non-conventional medical rationalities (Chinese Traditional Medicine, Indian Traditional Medicine, Homeopathic Medicine, and Anthroposophic Medicine), the vitalist conception is a philosophical doctrine that considers the existence of a vital force (principle) responsible for maintaining the health and life, united substantially to the physical body. Furthermore, valuing the interaction of other higher instances of human individuality (mind, soul and spirit) in the physiological-life balance, the vitalist conception includes the influence of thoughts, feelings and emotions in pathogenesis and evolution of the diseases, aspects disseminated by modern psychosomatic dynamic and the recent field of research that relates health to spirituality.

 


A Natureza Imaterial do Homem: estudo comparativo do vitalismo homeopático com as principais concepções médicas e filosóficas

A Natureza Imaterial do Homem: estudo comparativo do vitalismo homeopático com as principais concepções médicas e filosóficas

The Immaterial Nature of Man: comparative study of homeopathic vitalism with mainly medical and philosophical conceptions

Teixeira MZ. A natureza imaterial do homem: estudo comparativo do vitalismo homeopático com as principais concepções médicas e filosóficas. 1ª ed. São Paulo: Editorial Petrus, 2000, 480 páginas.

Teixeira MZ. A natureza imaterial do homem: estudo comparativo do vitalismo homeopático com as principais concepções médicas e filosóficas. 2ª ed. São Paulo: Marcus Zulian Teixeira, 2015. (e-Book em pdf).

Teixeira MZ. A natureza imaterial do homem: estudo comparativo do vitalismo homeopático com as principais concepções médicas e filosóficas. 3ª ed. São Paulo: Marcus Zulian Teixeira, 2015. (e-Book em epub).

Disponíveis em: https://www.homeozulian.med.br/homeozulian_visualizarlivroautor.asp?id=4

 

Resenha

Além da materialidade grosseira do corpo físico, sempre se acreditou na existência de uma natureza imaterial do homem, assumindo várias conotações ao longo das diversas civilizações humanas. Em todas as filosofias e religiões, termos como alma, espírito, mente, força vital, etc. são citados, representando uma entidade energética-espiritual com ascendência sobre a entidade orgânica-material. Além disso, atribui-se ao espírito (alma) uma natureza eterna, imortal, ao contrário da existência limitada e passageira do corpo material. Até o século XIX, existia na medicina a noção de uma força vital responsável pela manutenção do equilíbrio das funções orgânicas e da saúde, sendo substituída, no século XX, pelos princípios cartesianos que localizaram a causa das doenças nos órgãos, nos tecidos e nas células. Dentre as especialidades médicas atuais, a homeopatia apresenta em seu corpo doutrinário a noção de que o binômio saúde-doença se fundamenta num substrato material-energético (força vital, princípio vital). Apesar de utilizar esse conceito filosófico para explicar a gênese profunda das enfermidades, apresenta um modelo terapêutico fundamentado pelos conhecimentos experimentais e científicos da medicina moderna. Nessa obra, buscamos estudar comparativamente as diversas escolas médicas e filosóficas que valorizam os veículos sutis de manifestação da individualidade humana, evidenciando, através das semelhanças conceituais encontradas, que este conhecimento espiritualista provém de uma fonte primordial comum, que remonta ao início da humanidade terrena. Através das inúmeras citações e referências bibliográficas, o leitor poderá se aprofundar no estudo desta natureza imaterial humana, não alimentando esse trabalho qualquer pretensão de esgotar um assunto de tamanha complexidade e importância para o entendimento do homem e de seu papel no atual ciclo de evolução terrena.

 

Principais tópicos

A natureza imaterial do homem ao longo da história da medicina / A natureza imaterial do homem segundo a homeopatia: concepção vitalista de Samuel Hahnemann / O princípio vital homeopático perante a fisiologia humana / A natureza imaterial do homem segundo a medicina tradicional chinesa (acupuntura) / A natureza imaterial do homem segundo a medicina âyurveda e a filosofia hindu-tibetana / A natureza imaterial do homem segundo a concepção rosacruz / A natureza imaterial do homem segundo a medicina antroposófica / A natureza imaterial do homem segundo a cabala hebraica / A natureza imaterial do homem segundo a doutrina espírita.

 


O vitalismo homeopático ao longo da história da medicina

O vitalismo homeopático ao longo da história da medicina - Homeopatia Brasileira

The homeopathic vitalism along the history of medicine

Teixeira MZ. O vitalismo homeopático ao longo da história da medicina. Homeopatia Brasileira 2002; 8(2): 109-123. Disponível em: ResearchGate

 

Resumo

Em seu aspecto filosófico, a Homeopatia situa a gênese das doenças no desequilíbrio da força vital: o tratamento homeopático visa reequilibrar este princípio vital. E o que é esta força vital? O espírito, a alma, a mente ou uma energia primordial responsável pela vida e pela preservação da saúde nos seres vivos? Na incompreensão do verdadeiro significado desta força vital, radicam inúmeras confusões doutrinárias, desde o entendimento do processo da doença até as propostas terapêuticas para as mesmas, podendo transmitir à prática clínica homeopática pretensões que ela não se propõe atingir. Neste trabalho, buscamos estudar a natureza imaterial do homem segundo as principais escolas médicas da Antiguidade, a fim de traçarmos analogias com as principais características da força vital hahnemanniana. Desta forma, podemos visualizar as diversas correntes que podem ter influenciado Hahnemann na elaboração do seu modelo vitalista. Segundo as diversas linhas do pensamento médico estudadas, fica evidente que o distúrbio responsável pela gênese das doenças orgânicas localiza-se no princípio vital, tsri ou chilinga sharira, duplo etérico, corpo vital ou corpo etéreo, todas correspondendo à vis medicatrix naturae hipocrática, instintiva, automática e desprovida de inteligência, que se assemelha em seu modus operandi ao sistema homeostático ou sistema psico-neuro-imuno-endócrino-metabólico estudado pela fisiologia integrativa nas reações ao estresse.

 

Abstract

The diseases genesis, for the Homeopathic Science, comes from the vital force disturbance: the homeopathic treatment aims to balance this vital source. And what is this vital force? It is the spirit, the soul, the mind, or a primordial energy responsible for the human being’s life and health care. Many doctrinaire misunderstandings come from the incomprehension of this vital force real meaning; starting from understanding the disease process up to the therapeutic propositions for treating them. This may bring to the homeopathic clinical practice aspirations that Hahnemann does not expect to reach. In this work, we stand out the hahnemanniana vital force’s main characteristics, making analogies of the same with the several existing medical and philosophic conceptions. This way, we can visualize the several currents that might have influenced Hahnemann during the elaboration of his vitalistic model. According to the several currents studied, it is evident that the disturb responsible for the organic disease genesis is in the vital source, tsri or chi, linga sharira, tzelem, double electric, vital body or ethereal body, all corresponding to the Hippocratic, instinctive, automatic and unintelligent vis medicatrix naturae which, in its modus operandi, is similar to the neural-immune-endocrine-metabolic system studied by the integrative physiology in the reactions to the stress.

 


O vitalismo hahnemanniano na prática clínica homeopática

O vitalismo hahnemanniano na prática clínica homeopática - Revista de Homeopatia

Hahnemann's vitalism in homeopathic clinical pratice

Teixeira MZ. O vitalismo hahnemanniano na prática clínica homeopática. Revista de Homeopatia (São Paulo) 2000; 65(2): 23-34. Disponível em: ResearchGate

 

Resumo

Para a Homeopatia, a gênese das doenças situa-se na distonia da força vital: o tratamento homeopático visa reequilibrar este princípio vital. E o que é esta força vital? O espírito, a alma, a mente ou uma energia primordial responsável pela vida e pela preservação da saúde nos seres vivos. Na incompreensão do verdadeiro significado desta força vital, radicam inúmeras confusões doutrinárias, desde o entendimento do processo da doença até as propostas terapêuticas para as mesmas, podendo transmitir à prática clínica homeopática pretensões que ela não se propõe atingir. Neste trabalho, destacamos as principais características da força vital hahnemanniana, traçando analogias da mesma com as diversas concepções médicas e filosóficas existentes. Desta forma, podemos visualizar as diversas correntes que podem ter influenciado Hahnemann na elaboração do seu modelo vitalista. Segundo as diversas linhas de pensamento estudadas, fica evidente que o distúrbio responsável pela gênese das doenças orgânicas localiza-se no princípio vital, tsri ou chi, linga sharira, duplo etérico, corpo vital ou corpo etéreo, todas correspondendo à vis medicatrix naturae hipocrática, instintiva, automática e desprovida de inteligência, que se assemelha em seu modus operandi ao sistema neuro-imuno-endócrino-metabólico estudado pela fisiologia integrativa nas reações ao estresse.

 

Abstract

The diseases genesis, for the Homeopathic Science, comes from the vital force disturbance: the homeopathic treatment aims to balance this vital source. And what is this vital force? It is the spirit, the soul, the mind, or a primordial energy responsible for the human being's life and health care. Many doctrinaire misunderstandings come from the incomprehension of this vital force real meaning; starting from understanding the disease process up to the therapeutic propositions for treating them. This may bring to the homeopathic clinical practice aspirations that this science does not expect to reach. In this work, we stand out the hahnemanniana vital force's main characteristics, making analogies of the same with the several existing medical and philosophic conceptions. This way, we can visualize the several currents that might have influenced Hahnemann during the elaboration of his vitalistic model. According to the several currents studied, it is evident that the disturb responsible for the organic disease genesis is in the vital source, tsri or chi, linga sharira, double electric, vital body or ethereal body, all corresponding to the Hippocratic, instinctive, automatic and unintelligent vis medicatrix naturae which, in its modus operandi, is similar to the neural-immune-endocrine-metabolic system studied by the integrative physiology in the reactions to the stress.

 


Concepção vitalista de Samuel Hahnemann

Concepção vitalista de Samuel Hahnemann

Vitalist conception of Samuel Hahnemann

Teixeira MZ. A concepção vitalista de Samuel Hahnemann. Revista de Homeopatia (São Paulo) 1996; 61(3-4): 39-44. Disponível em: ResearchGate

Teixeira MZ. Concepção vitalista de Samuel Hahnemann. 1ª edição. São Paulo: Robe Editorial, 1997, 131 páginas. Disponível em

Teixeira MZ. Concepção vitalista de Samuel Hahnemann. 2ª edição – revisada e atualizada. São Paulo: Marcus Zulian Teixeira, 2021, 140 p. Disponível em

 

Resumo

Estando a homeopatia fundamentada no modelo médico vitalista, conceitos como força vital, mente, alma, espírito, etc., referentes à natureza imaterial humana, são frequentemente citados, tornando-se indispensável sua compreensão. Embasada nas obras de Samuel Hahnemann, fundador da homeopatia, incluindo seus escritos menores e cartas, essa obra busca esclarecer essas concepções, no intuito de dissolver confusões doutrinárias. No referido estudo, fica claro o conceito de ‘força vital instintiva e irracional’, análoga à ‘vis medicatrix naturae’ hipocrática, formando um composto substancial com o corpo físico e de natureza distinta do espírito inteligente. Como outra entidade distinta das anteriores, Hahnemann também cita a mente, sede da alma, como ‘órgãos físicos quase não-materiais, de mais alta hierarquia’, atribuindo ao psiquismo humano a maior influência no binômio saúde-doença, referindo-se à moral e à ética como fatores preventivos e curativos das enfermidades que afetam a humanidade. Critica a escolástica e o excesso de especulações metafísicas, afastando-se de qualquer corrente filosófica ou religiosa, brindando-nos com conceitos espiritualistas universalistas dentro dos princípios morais e éticos, engrandecendo ainda mais sua obra e demonstrando ser um observador livre de preconceitos. Para Hahnemann, o corpo físico forma uma unidade substancial com o princípio vital, e não com a alma, sendo comandado pelo espírito inteligente que nele habita. A mente, como órgão psíquico, assume importante papel na relação entre essas entidades que compõe o ser humano.

 

Abstract

Since homeopathy is based on the vitalist medical model, concepts such as vital force, mind, soul, spirit, etc., referring to the immaterial human nature, are frequently cited, making their understanding indispensable. Based on the works of Samuel Hahnemann, founder of homeopathy, including his minor writings and letters, this work seeks to clarify these conceptions, in order to dissolve doctrinal confusions. In this study, the concept of ‘instinctive and irrational vital force’, analogous to the Hippocratic ‘vis medicatrix naturae’, becomes clear, forming a substantial compound with the physical body and a nature distinct from the intelligent spirit. As another entity distinct from the previous ones, Hahnemann also mentions the mind, seat of the soul, as ‘physical organs almost non-material, of higher hierarchy’, attributing to the human psyche the greatest influence in the binomial health-disease, referring to the moral and ethics as preventive and curative factors for diseases that affect humanity. He criticizes scholasticism and the excess of metaphysical speculations, moving away from any philosophical or religious current, offering us universalistic spiritualist concepts within moral and ethical principles, further enhancing his work and demonstrating that he is a prejudice-free observer. For Hahnemann, the physical body forms a substantial unity with the vital principle, and not with the soul, being commanded by the intelligent spirit that in him dwells. The mind, as a psychic organ, assumes an important role in the relationship between these entities that make up the human being.

 



HOMEOPATIA:
Ciência, Filosofia e Arte de Curar

Prof. Dr. Marcus Zulian Teixeira
Rua Teodoro Sampaio, 352 - Cj.128
CEP 05406-000 - São Paulo - SP
(11) 3083-5243 | 3082-6980
[email protected]
Todos os direitos reservados a Marcus Zulian Teixeira - Escritório de Direitos Autorais - Fundação Biblioteca Nacional